Estresse

 estresseMuitas Pessoas questionam se o estresse é uma doença ou não.

O estresse pode ser compreendido com uma resposta psicofisiológica, pois envolve aspectos psicológicos: emoções, pensamentos e o próprio comportamento apresentado pelas pessoas; e aspectos fisiológicos: alteração do hábito alimentar, alteração do sono, sintomas físicos com gastrite, úlcera, hipertensão, entre outros. Neste sentido pode-se dizer que o stress, em si, não é uma doença, contudo pode ser o ponto de partida para que o indivíduo desenvolva alguma doença.

Conceitualmente o estresse é um estado de tensão que causa um desequilíbrio no organismo vivo, frente a este desequilíbrio o organismo reage de maneira a enfrentar a situação presente, neste momento estamos falando de uma fase do estresse que é saudável, pois possibilita o organismo se preparar para resolver as questões que estejam presentes e precisam de uma solução. Contudo caso as variáveis que estão influenciando nesse desequilíbrio permaneçam por um tempo prolongado, o organismo pode ficar exausto e começar a apresentar os sintomas do estresse em sua terceira fase, sendo estes sintomas: irritabilidade; alteração do humor; vontade de sumir; ansiedade; alterações do sono; assim como sintomas físicos, resfriados e gripes frequentes (o estresse afeta o sistema imunológico); hiperacidez estomacal; tensão muscular, etc. Nesta fase pode aparecer algumas doenças clínicas, e estas variam de indivíduo para indivíduo, de acordo com a predisposição genética de cada pessoa e o ponto de choque de cada um.

Para tratar do estresse é fundamental que a pessoa apresente mudanças em seu padrão de comportamento, neste sentido a psicologia tem um papel importantíssimo, pois ajudará o indivíduo reconhecer seu comportamento, sua forma de interpretar o mundo e assim mudar de comportamento de forma a enfrentar os estressores da vida sem entrar num desgaste tão intenso.

Fonte: www.vivercomqualidade.psc.br